Especial dia dos pais: resenha do jogo Last Of Us

the-last-of-us-new-game-plus-mode

Reprodução

Aproveitando que hoje é Dia dos Pais, nada mais oportuno do que lembrar o clássico The Last of Us, um jogo para Playstation 3 produzido pela Naughty Dog, a mesma responsável pela série Uncharted.

A trama de Last of Us conta a história de Joel, um dos sobreviventes de uma misteriosa praga de esporos que transformou os infectados em criaturas violentas e sem discernimento moral. O jogo começa com um breve flashback, mostrando o primeiro dia do contágio e como ele transformou Joel em uma espécie de sobrevivente cínico e amargurado pela morte trágica da sua filha.

Logo o jogo avança para o tempo presente, retratando o rápido declínio da civilização: humanos agora são obrigados a viver em campos de concentração com poucos recursos e sob lei marcial, enquanto o que restou das cidades é retomado pela natureza, animais e criaturas infectadas.

Em meio a esse cenário hostil e opressor, Joel sobrevive como uma espécie de contrabandista, fugindo dos campos de concentração e vendendo itens ilegais para outros sobreviventes, sua vida muda quando ele recebe uma missão: proteger uma garota de dezesseis anos chamada Ellie, que, de acordo com alguns cientistas e rebeldes, é a chave para imunizar a humanidade da misteriosa praga de esporos.

Assim, Joel e Ellie embarcam em uma jornada pelo o que sobrou dos Estados Unidos, além de conhecer novas pessoas e lugares, The Last of Us proporciona uma viagem de autodescobrimento, onde os jogadores acompanham aos poucos o carinho paternal que Joel redescobre graças a presença de Ellie.

Com enredo emocionalmente intenso e gráficos incríveis, Last of Us é considerado uma das obras primas da última geração de videogames, mostrando mais uma vez o potencial artístico e narrativo dessa mídia. Recentemente o jogo ganhou uma versão remasterizada para Playstation 4. The Last of Us agradará todos aqueles que procuram nos videogames uma boa história para ser contada.

Por Roberto Berruezo Maia (@roberto_synthzoid)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s